imagem dia internacional alfabetizacao 2

 

“Alfabetização e plurilinguismo” 

8 de setembro de 2019

O nosso mundo é rico e diverso, existem mais de 7000 línguas vivas. Estas línguas são instrumentos de comunicação, de acesso à aprendizagem ao longo da vida e de participação na sociedade e no mundo do trabalho. Estão também intimamente ligadas a identidades, culturas, visões do mundo e sistemas de conhecimento. Assim, é fundamental ter em consideração a diversidade linguística no desenvolvimento da educação e da alfabetização, pois trata-se de uma peça-chave na construção de sociedades inclusivas, respeitadoras da “diversidade” e da “diferença”, preservando simultaneamente a dignidade humana.

Hoje em dia, o plurilinguismo – i.e. o uso de mais do que uma língua na vida cotidiana – é cada vez mais comum devido à maior mobilidade das populações e à crescente ubiquidade da comunicação multimodal e instantânea. A sua configuração tem evoluído com a globalização e a digitalização. Enquanto o uso de certas línguas tem aumentado por via do diálogo entre países e comunidades, várias línguas minoritárias e indígenas estão em perigo. Estas tendências têm repercussões no desenvolvimento da alfabetização.

Enquanto diferentes aspetos das políticas e práticas interagem para promover a alfabetização, o desenvolvimento de sólidas competências linguísticas básicas numa língua materna, antes de se iniciar uma segunda língua ou uma língua estrangeira, apresenta múltiplas vantagens. Contudo, cerca de 40% da população mundial não tem acesso ao ensino numa língua que fala ou que compreende. Precisamos de mudar esta situação, tornando as políticas e práticas mais pertinentes do ponto de vista linguístico e cultural, enriquecendo os ambientes alfabetizados multilingues e tirando partido do potencial da tecnologia digital. Ao longo de mais de sete décadas, a UNESCO apoiou as abordagens de educação baseadas na língua materna e no plurilinguismo como um meio para melhorar a qualidade da educação e o entendimento intercultural. Como eferiu um dia Nelson Mandela, “Se falares a um homem numa linguagem que ele compreenda, a tua mensagem entra na sua cabeça. Se lhe falares na sua própria linguagem, a tua mensagem entra-lhe diretamente no coração”. A combinação da cabeça e do coração é a chave para uma aprendizagem eficaz.

Em 2019, celebramos o Ano Internacional das Línguas Indígenas e também o 25º aniversário da Conferência Mundial sobre as Necessidades Educativas Especiais, no âmbito da qual foi adotada a Declaração de Salamanca relativa à educação inclusiva. Fazendo eco a estes eventos especiais, e por ocasião do Dia Internacional da Alfabetização 2019, a UNESCO convida-o a repensar a alfabetização no mundo multilingue contemporâneo, como parte do direito à educação e como meio para criar sociedades mais inclusivas e diversas do ponto de vista linguístico e cultural.

Audrey Azoulay

  • Partilhe