Comissão Nacional da UNESCO

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Portugal equipado com novo sistema de alerta de tsunami

tsunami

Depois de França, Turquia, Itália e Grécia, Portugal é o mais recente país da região do Atlântico Nordeste, Mediterrâneo e Mares Conectados (NEAM) a estar equipado com o novo Sistema Nacional de Alerta de Tsunami que irá emitir mensagens em caso de tsunami nas costas portuguesas ou na sua proximidade. Este novo sistema aumentará consideravelmente a capacidade europeia resposta a este tipo de catástrofe.

O novo serviço de alerta, que, nas palavras de Fernando Carilho, Diretor do IPMA, “depende de centenas de sensores instalados ao longo da costa portuguesa que podem detetar qualquer movimento terrestre ou deslocação de águas”, encontra-se no Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Conseguirá detetar qualquer sismo que afete a região e enviar informação relevante às autoridades portuguesas, que estão aptas a alertar as pessoas, através de mensagens e sirenes, para este risco 8 minutos antes de qualquer maremoto acontecer, o que permitirá a evacuação para áreas seguras.

Neste momento, há quatro Serviços de Alerta Prévio de Tsunami na região NEAM sob a coordenação da Comissão Oceanográfica Intersectorial da UNESCO. Os 39 países da NEAM que estão sob risco de tsunami podem subscrever este serviço. “Depende de cada país”, continua Fernando Carilho, “subscrever um sistema de alerta prévio. A título de exemplo, o novo serviço em Portugal possibilitará países da região do Atlântico Nordeste, como a Mauritânia, Marrocos, Irlanda, Reino Unido e França, beneficiar do nosso serviço se o subscreverem”.

Os tsunamis são eventos raros que ocorrem principalmente na Ásia e nas Américas, mas não só: o limite da placa África-Eurásia apresenta riscos de terramoto, fazendo desta uma área vulnerável a atividade sísmica. Portugal foi atingido por um sismo devastador de 8.5 a 9 na escala de Richter em 1755, que resultou em mais de 70.000 mortes e causou um maremoto com ondas de 5 a 6 metros em Lisboa. O país sofreu outros dois grandes sismos e tsunamis, o primeiro em 1969 em Portugal Continental e o segundo em 1980 nos Açores, levando à morte de cerca de 80 pessoas.

O aumento da disponibilidade e do acesso a sistemas de alerta prévio de múltiplos riscos de desastre é um dos 7 objetivos do Quadro de Ação Sendai, adotado no Japão em 2015 pelos líderes mundiais.

(Texto adaptado a partir de publicação da UNESCO)