Prémio de Jornalismo Direitos Humanos & Integração é uma iniciativa conjunta da Comissão Nacional da UNESCO e da Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros, que tem por objetivo reconhecer o trabalho desenvolvido por profissionais da comunicação social, a nível nacional, em prol dos direitos humanos e das liberdades fundamentais.

O Prémio, num valor total de 10.000 euros, é atribuído ao melhor trabalho realizado, no ano anterior, por profissionais da comunicação social nas suas diversas modalidades – meios audiovisuais, rádio e imprensa escrita. É ainda atribuído o Prémio de Imprensa Regional ao melhor trabalho publicado ou difundido num órgão de comunicação social regional e local, independentemente da categoria em que se insere.

O júri composto, nesta décima-terceira edição, por Guilherme d’Oliveira Martins, Catarina Duff Burnay e José Pedro Castanheira nomeou as seguintes peças:

Na categoria de Imprensa Escrita:

Na categoria de Comunicação Social Regional e Local:

  • Os malmequeres – artistas especiais procuram mercado para acolher a sua criatividade, de Martine Rainho e Joaquim Dâmaso, publicada no Semanário Região de Leiria;
  • Ensaio sobre a solidão, de Paulo Barriga, publicada no Diário do Alentejo.

Na categoria de Rádio:

Na categoria de Meios Audiovisuais:

 

Laureados 2018
Imprensa Escrita O Prémio é atribuído à peça Racismo à portuguesa, de Joana Gorjão Henriques, publicada no Público.
Comunicação Social Regional e Local

O Prémio é atribuído à peça Ensaio sobre a solidão, de Paulo Barriga, publicada no Diário do Alentejo.
O júri atribuiu uma menção honrosa à peça Os malmequeres – artistas especiais procuram mercado para acolher a sua criatividade, de Martine Rainho e Joaquim Dâmaso, publicada no Semanário Região de Leiria.
RádioRádio O Prémio é atribuído à peça Jamaika também é Portugal, de Rita Colaço, difundida na Antena 1.
O júri atribuiu uma menção honrosa à peça Guiné Bissau – Esta terra é nossa, Episódio 5: vencer na diferença, de Paula Borges e Paulo Cavaco, difundida na RDP África.
Meios Audiovisuais O Prémio ex-aequo é atribuído às peças Arrependido, de Mafalda Gameiro, emitida na RTP e O mundo de Jó, de Sibila Lind, emitida no Público (multimédia).

  • Partilhe