Comissão Nacional da UNESCO

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Dia Internacional da Diversidade Biológica - 22 de maio

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO

22 de maio de 2018

A biodiversidade é um bem comum, um património extremamente valioso construído ao longo de milhões de anos, um capital que devemos transmitir às gerações vindouras. A sua definição inclui a excecional variedade de formas de vida que existem na Terra assim como os ambientes naturais em que se desenvolveram: os ecossistemas. A biodiversidade condiciona ainda a nossa própria existência e oferece-nos todos os recursos naturais para o nosso desenvolvimento.

No entanto, a biodiversidade não é um bem inesgotável. As intervenções do Homem como as explorações extensivas dos recursos, os modos de consumo excessivos e a poluição industrial potenciam alterações climáticas causando danos irreparáveis.

Esta foi a conclusão dos especialistas internacionais que se reuniram no último mês de março, em Medellín (Colômbia), no âmbito da Plataforma Intergovernamental sobre Diversidade Biológica e Serviços relativos ao Ecossistema (IPBES).

Os relatórios produzidos por estes peritos confirmaram a rápida deterioração do estado da biodiversidade e evidenciaram os efeitos diretos desta deterioração, já percetíveis, como a disseminação de certas doenças ao Homem.

A UNESCO, instituição parceira da IPBES compromete-se a tentar pôr um termo no empobrecimento da biodiversidade e promover a exploração sustentável dos ecossistemas. O seu Programa O Homem e a Biosfera visa, por exemplo, garantir um equilíbrio harmonioso entre as atividades humanas e o ambiente natural. Além disso, no quadro da Década das Nações Unidas para a Biodiversidade (2011-2020), a UNESCO contribui ativamente para a implementação da Convenção sobre a Diversidade Biológica, adotada há 25 anos por 196 Estados-Parte e visa a conservação da diversidade biológica e uma partilha equitativa e sustentável dos recursos. Nos sítios inscritos na Lista do Património mundial, nas reservas da biosfera e nos geoparques, a nossa Organização desenvolve, com todos os seus parceiros, soluções inovadoras tratando de forma complementar as questões relativas à diversidade biológica e à diversidade cultural.

Além da urgência de preservar a biodiversidade e restaurar os ecossistemas degradados, estes programas visam contribuir para a mudança das mentalidades e a evolução das práticas económicas e sociais. Esta evolução, inscrita na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, e nomeadamente no seu Objetivo 15, dedicado à qualidade de vida na Terra, passa pela partilha de valores como a cooperação, o respeito pela diversidade, a solidariedade entre gerações, valores adquiridos e cultivados através de uma educação para o desenvolvimento sustentável.

Este dia internacional convida-nos a uma sensibilização acrescida para estes desafios essenciais à nossa vida de hoje e de amanhã. Um dia em que este belo provérbio indiano ganha todo o seu sentido "A terra não é uma herança dos nossos pais, é antes um empréstimo dos nossos filhos"

Audrey Azoulay