Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO

2019

Neste oitavo Dia Internacional do Jazz, lembremo-nos das palavras proferidas pelo grande Martin Luther King Jr. sobre o papel decisivo do jazz na construção de um sentimento de identidade para os afro-americanos e tantas outras pessoas de todo o mundo, “O jazz fala pela vida (…). Quando a vida não oferece ordem ou significado, o músico cria-os a partir dos sons da terra que fluem através do seu instrumento ", disse ele no Festival de Jazz de Berlim de 1964.

O Jazz é uma explosão de beleza nascida da opressão. É a música da improvisação e da criação coletiva. Na sua essência, a liberdade e a abertura permitem que seja adotado por culturas de todo o mundo, enriquecidas pelas tradições musicais e pelas notas particulares de cada uma delas. O Jazz dá voz às lutas e aspirações de milhões de pessoas e constitui um símbolo único de liberdade de expressão e de dignidade humana. Em momento de crescente discórdia e divisão, o jazz representa uma linguagem universal de paz.

A Austrália, que tem fortes ligações com o jazz, acolhe este ano o Dia Internacional do Jazz com um concerto à escola mundial: o All-Star Global Concert, que terá lugar em Melbourne e será transmitido em direto para milhões de pessoas em todo o mundo.

Atuará neste concerto o emblemático pianista de jazz e Embaixador da Boa Vontade da UNESCO Herbie Hancock, que foi o primeiro a defender a criação de um "Dia Internacional do jazz" e que tornou possível a sua proclamação em 2011. Juntar-se-ão a ele um conjunto de artistas internacionais, entre eles o aclamado cantor de jazz americano Dee Dee Bridgewater e o trompetista australiano James Morrison. Estarão também em cena por todo o país, de Sydney a Perth, os vastos programas de edução e sensibilização para o jazz que oferecem a oportunidade, sobretudo aos mais jovens, de descobrir o jazz e até mesmo de experimentar um instrumento.

Além disso, milhares de manifestações serão organizadas em todo o mundo – concertos, sessões de improvisação, projeções de filmes, conferências e mesas redondas sobre temas ligados ao jazz. Encorajo assim cada um a participar e a fazer parte desta história tão rica e em constante evolução dos ritmos e formas do jazz.

A UNESCO tem orgulho em colaborar com o Instituto de Jazz Herbie Hancock na promoção desta magnífica forma de diálogo através da música. Neste Dia Internacional do jazz, deixemo-nos guiar pelos valores e mensagens do jazz como uma força unificadora e uma voz de esperança para tantas pessoas.

Audrey Azoulay

  • Partilhe