Comissão Nacional da UNESCO

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Centro Histórico de Évora

CENTRO HISTÓRICO DE ÉVORA

 [ Data de inscrição: 1986 | Critérios: (ii) (iv)]

 

rsz400 Evora

                                                               © José Manuel Rodrigues

É, por excelência, o "exemplo" do centro histórico português, com visíveis repercussões na generalidade do território ultramarino. Évora deve a sua relevância a uma história milenar que recua à Pré-História. Mas a história sobrepôs-se-lhe fazendo dela uma das mais notáveis cidades romanas da Lusitânia - Ebora Liberalitas Júlia - da qual restam inúmeros vestígios, destacando-se o Templo Romano.

Tornou-se, em seguida, num dos grandes centros urbanos do Sul do reino português, lugar contínuo de visita e estadia dos monarcas. Viu ali nascer e desenvolver-se os primeiros e brilhantes traços do gótico, combinados com a herança (e a procura de emulação) do mundo "mourisco" ou árabe no chamado "estilo mudéjar", durante os séculos XV e XVI. Recebeu depois os influxos do humanismo e é ali que aparecem algumas das primeiras grandes obras arquitetónicas do Renascimento ibérico, por volta de 1530.

Estes diversos momentos tornaram-na numa espécie de joia patrimonial, à qual os séculos não se escusaram de adaptar, mas que mantém intacta uma ambiência de autenticidade e monumentalidade que a transformam numa verdadeira «cidade-museu».

 

BOAS PRÁTICAS

rsz 200 BP Evora1

 © Câmara Municipal de Évora

O Plano de Uso Público de Évora

“Uso Público” diz respeito aos usos turístico, educacional, interpretativo, de recreio e de investigação do património cultural. No caso de Évora, a metodologia “Public Use Planning” (PUP), ajuda-nos a gerir o nosso processo de planeamento e a implementa-lo através de um ação participativa e de busca de consensos. O PUP estimula a prática de trabalho de gestão em parceria na comunidade e a mobilização de recursos e contributos locais para apoio ao Património cultural.

 

 rsz 200 BP Evora2

© Câmara Municipal de Évora

 

Restabelecimento da população de Francelho

O projeto tem como objetivos assegurar a manutenção da colónia existente em Évora, potenciar o seu crescimento e dispersão com recolonização de outras áreas no concelho, invertendo o desaparecimento desta espécie contribuindo para a sua expansão demográfica e geográfica. O Francelho é um pequeno falcão que concorre com os pombos pelo mesmo habitat, com a vantagem de, durante o dia, se ausentar da cidade em busca de alimento. A sua ação permite controlar a população de pombos, evitando a sua proliferação exagerada, com efeitos sensíveis na limpeza e higiene pública.

 rsz 200 BP Evora3

© Câmara Municipal de Évora

 

Jovens Embaixadores de Évora

Como qualquer cidade universitária, todos os anos recebemos e enviamos para o estrangeiro, inúmeros estudantes do ensino superior. Apoiando os jovens universitários de Évora nessa sua deslocação com informação e formação e um Kit sobre a nossa cidade, transformamo-los em Jovens embaixadores de Évora, com a missão de apresentarem a cidade e o seu território nos locais para onde se deslocam. Complementarmente, tem-se procurado envolver a comunidade empresarial local no sentido de complementar as bolsas de estudo com pequenas ajudas aos estudantes. Aos jovens que nos visitam é proporcionada uma experiencia enriquecedora em torno do nosso património.