Comissão Nacional da UNESCO

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Paisagem Cultural de Sintra

PAISAGEM CULTURAL DE SINTRA

[ Data de inscrição: 1995 | Critérios: (ii) (iv) (v)]

 

rsz400 Sintra

                                          © Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A

Sintra foi conhecida na antiguidade por "Serra da Lua". Este nome mostra até que ponto eram importantes os cultos e rituais pré-históricos que aí se desenrolavam, depois sucessivamente cristianizados (e islamizados) e, mais tarde recristianizados.

Primeira "paisagem cultural" a ser inscrita como Património Mundial, prevalece em Sintra o jogo entre a natureza e a ação do homem que modificou a sua roupagem vegetal e a harmonizou, combinando os grandes monumentos como o Palácio Real, dos séculos XIII-XVI e o Palácio da Pena, do século XIX com exemplos da arquitetura tradicional e vernacular.

Sintra foi, no século XIX, o primeiro foco da arquitetura romântica europeia. Fernando II soube transformar as ruínas de um mosteiro em castelo, onde a nova sensibilidade se exprimiu pela utilização de elementos góticos, egípcios, islâmicos e da Renascença, e pela criação de um parque conjugando essências locais e exóticas. Outras residências de prestígio foram construídas segundo o mesmo modelo na serra e fizeram de este local um exemplo único de parques e jardins que influenciou diversas paisagens na Europa.

A imponência de serra e, ao mesmo tempo, a sua amenidade, fazem de Sintra um lugar único no qual o "espírito da terra" e o sagrado sempre se manifestaram de um modo privilegiado.

 

BOAS PRÁTICAS 

rsz 200 BP Sintra2

 © Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A

O Ciclo Virtuoso de gestão do Património

O modelo de gestão do património cultural e natural depende de um ciclo virtuoso centrado na capacidade dos parques e monumentos para gerar receitas através de fluxos regulares de visitantes, simultaneamente preservando o valor universal excecional do bem. Isto é conseguido através da recuperação, valorização e abertura de novos polos de visita à fruição pública, constante melhoria da experiência do visitante e diversificação dos serviços e atividades que oferece, tais como visitas guiadas, passeios temáticos, cursos e workshops, animação cultural, cafetarias e lojas. São, igualmente, implementadas soluções de mobilidade sustentável, como a criação de uma rede de percursos pedestres, a disponibilização de bicicletas elétricas e a implementação de um programa de turismo equestre.

 Sintra3

© Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A

 

Gestão baseada em conhecimento

Um Conselho Científico reúne especialistas em património natural e edificado presta aconselhamento em questões de proteção, conservação e restauro, estabelecendo parcerias regulares com universidades e centros de investigação. Este relacionamento atrai estudantes, estagiários e investigadores e permite que os processos de conservação e restauro sejam suportados e orientados por estudos preliminares multidisciplinares. Os projetos de reabilitação são sempre realizados à vista do público – “abertos para obras”.

 rsz 200 BP Sintra4

© Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A

 

Programas de responsabilidade social

Em 2007 foi estabelecido um protocolo com a Direção Geral dos Serviços Prisionais, que tem permitido integrar, nas equipes de conservação de edifícios, florestas e jardins, reclusos de vários estabelecimentos prisionais em cumprimento de fim de pena e regime aberto voltado para o exterior com vista à sua adaptação social após a libertação. Este programa que tem servido de modelo a diversas empresas, e recebeu em 2009 o European Entreprise Award na categoria de Melhor Projeto de Inclusão. Prosseguindo uma política de diversificação das iniciativas de responsabilidade social, em 2011 teve inicio um programa em parceria com instituições locais para a educação e reabilitação de cidadãos inadaptados através da colaboração na manutenção de alguns dos jardins recentemente restaurados.