Comissão Nacional da UNESCO

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Universidade de Coimbra

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. ALTA E SOFIA 

[Data de inscrição: 2013 | Critérios: (ii) (iv) (vi)]

 

rsz400 Coimbra

© Universidade de Coimbra / Manuel Ribeiro

Situada numa colina com vista para a cidade, a Universidade de Coimbra e respetivas faculdades cresceu e evoluiu ao longo de mais de sete séculos no seio da cidade velha. A Universidade tornou-se uma referência no desenvolvimento de outras instituições de ensino superior do mundo de língua portuguesa, exercendo também uma grande influência na difusão do saber e na literatura. Coimbra oferece um excelente exemplo de uma Universidade integrada numa cidade detentora de uma tipologia urbana específica, que logrou manter vivas, através dos tempos, as suas próprias tradições cerimoniais e culturais.

 

BOAS PRÁTICAS

 rsz 200 BP Coimbra1

© U. Coimbra / Manuel Ribeiro

Reabilitação da Torre da Universidade

Os estudos preliminares e o projeto de conservação e restauro da Torre da Universidade mobilizaram técnicos e investigadores das mais diversas especialidades, da pedra à madeira, da arquitetura à engenharia sísmica, da arqueologia à história de arte. Durante a intervenção, que decorreu em 2010, realizaram-se visitas e palestras para todos os públicos.

 

 rsz 200 BP Coimbra2

© Universidade de Coimbra

 “Montra de sonhos”

A ideia norteadora foi a de requalificar as montras de lojas devolutas na Baixa. O projeto reuniu treze grupos de cerca de 200 crianças entre os 3 e os 11 anos, que criaram obras de artes plásticas em telas (do tamanho de montras de lojas) sobre património, a cidade real e a cidade imaginada. O projeto visou fomentar o processo pedagógico baseado na criatividade criar consciência desde cedo em relação ao património e estabelecer vínculos entre a Universidade e a comunidade.

 rsz 200 bp coimbra3

           © José Meneses

 Museu Digital

O Museu Digital é um projeto desenvolvido pelo Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, que visa dar a conhecer e tornar acessível o seu acervo ao grande público e aos especialistas e investigadores de história da ciência. Trata-se de uma base de dados de mais de 28 mil instrumentos científicos, objetos etnográficos e de espécimes de história natural, que em 2010 foi reconhecida pela Associação Portuguesa de Museologia como a melhor aplicação de gestão museológica dos museus portugueses.